#day18 – collect yourself in your center

Tenho dado por mim outra e outra vez perdida em pensamentos e loops mentais. Há muito tempo que tal não me acontecia. Tive que verdadeiramente fazer uma pausa para perceber o que se passava e como poderia sair daquele local que me apertava o coração e me fazia chorar horas a fio. A imagem visual que tenho é cada um dos 1000 pensamentos por segundo a apontar-me o dedo, a fazer-me tomar decisões com base no desespero e com tantos julgamentos que passei algumas noites sem conseguir dormir convenientemente. Quando tal acontece é preciso parar para analisar. Mas não é analisar com mais um pensamento, com mais um julgamento ou com mais uma opinião externa deste ou do outro amigo. É analisar com o coração.

A cada pensamento sentia-me tão fora de mim e tão dispersa que a única coisa que consegui verdadeiramente fazer foi reunir-me no meu centro. Aquele local de paz que é tão importante conhecermos dentro. Levar a atenção para esse local e simplesmente ficar em presença lá, é o suficiente para dissolver a tormenta que vai na cabeça. Tão simples quanto isto.

“Reúne as tuas partes dispersas em cada um dos teus pensamentos e regressa ao centro. Fica em presença até todo o tumulto se dissolver. Fica até o teu coração te mostrar o verdadeiro caminho”.

Esta reunião no nosso centro, é apenas uma questão de prática. Por mais difícil que pareça ao início, torna-se cada vez mais fácil e rápido. Esta capacidade que se vai gerando de regressar ao centro, passa a comandar as nossas acções de um sítio mais seguro e verdadeiro.

Na maior parte das vezes, reagimos a tudo e a nada. Somos frutos de acção-reacção e passamos a ser marionetas da nossa própria vida. Voltar ao centro, é cuidar muito mais de nós, e perceber que independentemente da “razão” que possam ter esses pensamentos, nem sempre eles nos trazem a visão do todo. Acredito piamente que projectamos muito do que vai dentro, e colocamos nos ombros das outras pessoas, as nossas dificuldades e julgamentos. Insistimos nos filtros que nos cegam e partimos por ai cheios de “razão” e “auto-conhecimento”. Pois relembro-me todos os dias que opiniões são apenas isso. Opiniões. As nossas e as dos outros. E não passam de projecções mais ou menos acertadas acerca desta “realidade” que nos rodeia.

Que não se permita mais que as nossas projecções nos guiem para uma infelicidade sem fim, e que nos permitamos a voltar sempre ao centro por via das dúvidas. Deixar ir todos os pensamentos e ir apenas ao centro. Estar absoluta e incondicionalmente ouvintes e amantes deste lugar. E depois observem, como se de fogo de artifício se tratasse, o coração a abrir de novo e a contar-nos uma outra história, totalmente diferente, totalmente nova, do nosso próprio percurso. Permitam ainda que essa nova história se manifeste das formas mais obvias ou mais singelas e vos surpreenda com uma realidade não antes imaginada. A realidade da vossa nova vida. ❤

Deixo-vos com um video que adoro da Meghan e que tem muito de Heart Opening ❤

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s