#day53 – Love has its own colors 

Entre as mais luminosas e as mais sombrias, o que se encontra é maior ou menor profundidade. É maior ou menor ligação. Maior ou menor sentido no que fazemos, porque estamos e com quem somos. E ser com alguém requer um nível de profundidade que nem sempre se encontra e é intrinsecamente raro. Especial. Subtil. Ser-se com alguém é um privilégio, uma conquista, um amor pegado. Ser-se com alguém é ser-se na raiz, com tudo o que isso implica. É abraçar todas as partes com a intenção de se ser um. Ser-se com alguém é um presente, uma narrativa poética, um acordo de paz. É ser-se inteiro. Aberto. Capaz. É ser-se livre em si mesmo, e mesmo assim voltar porque se quer, e não porque tem que ser. Não temos que ser com alguém, na verdade nem precisamos de ser com ninguém. Mas podemos escolher fazê-lo de forma ligeira, consciente e comprometida. Podemos escolher um caminho lado a lado. Ou não. O que é certo é que podemos tudo. Sendo que o resultado do nosso dia-a-dia, vem essencial de quem escolhemos ser e com quem. 

Anúncios

One Comment Add yours

  1. Rui Vidal diz:

    Mais um lindo texto, bem escrito e tão naturalmente profundo que o reli, e sorri 🙂
    Ser-se com alguém… belíssima expressão, uma síntese perfeita.

    Gosto.

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s