#day117 – criamos a realidade em que vivemos

“Bárbara, vives numa bolha”…”Eu sei.”

Acredito que tudo o que vivemos é uma projecção do que nos vai dentro. Foram precisos 8anos de trabalho interior para identificar métodos de correção interna que geram resultados externos palpáveis.

Quando alguma coisa está muito errada na minha vida, recolho-me imediatamente. Olho para dentro. Não me julgo. Observo. Não me prendo à emoção. Apenas a observo e a deixo ir. As emoções são como as marés. Às vezes trazem mares revoltos onde parece que o mundo vai acabar. Mas a tempestade sempre passa. É preciso apenas aprender a respirar durante o tumúlto.

Já é raro fazer drama interno quando as coisas não me correm bem pois sei que a observação diminui e dissolve o “monstro” da situação. Uma realidade conturbada só existe nas nossas vidas se a alimentarmos. Se lhe dermos atenção. Se lhe dermos uma importância tal que leve a nossa energia que devia estar a ser canalizada para outras coisas. As que verdadeiramente importam.

A nossa realidade externa está directamente correlacionada à quantidade de energia que colocamos nos nossos ambientes internos. Por exemplo, se eu dedico muito tempo a remoer um assunto passado que me magoa, não vou ter espaço nem disponibilidade emocional para me entregar ao que me faz feliz. Os pensamentos vão-me diminuir, eu vou perder o meu brilho e os meus dias vão-me correr pior porque tudo me parecer difícil e sombrio. A vida estagna e eu não vejo saída para a questão. É possível ainda que a situação se torne crónica que eu me torne revoltada com a vida. Ora, eu não conheço pessoas revoltadas com a vida que sejam amadas por todos e pela vida. Pelo contrário, acabam por atrair maus tratos e situações de desrespeito. Isto porque, ao alimentarem pensamentos e emoções desgastantes, estão em primeira mão a desrespeitar-se a si.

Por isso é tão importante cuidarmos do nosso jardim interno. Deste espaço onde somos todos os dias. Esta intimidade profunda que podemos escolher ter connosco próprios ou não. A partir do momento em que percebermos que uma emoção negativa é apenas o equivalente a um dia de chuva, tão necessário como qualquer outro, saímos do drama e conseguimos transformar imediatamente a situação. Com a aceitação e a prática, a vida passa a ser uma praia tropical maravilhosa onde pode chover e fazer sol todos os dias e esse ciclo diário é adorado e apreciado como parte da evolução de cada um. Isto porque se aprende a ver a beleza da nuvem da mesma forma que se aproveita o aconchego do sol. Começa-se a perceber que a paz se encontra em todos os lugares de caos e que a vida é para ser vivida com tudo o que ela é, no seu expectro total de emoções, dores e sabores. Neste misto brilhante de vida e surpresa. Nesta arrebatadora experiência que nos é dada para aproveitar com tudo o que somos.

Por isso, cada um pode escolher dentro o que vive fora, basta que para isso saiba entender-se e perceber o que quer viver guiando-se internamente, alimentando as emoções correctas, para que a bússola interna possa tomar as rédeas e fazer acontecer a magia de transformar tudo lá fora. Até que lá fora seja exactamente como sonhámos e construímos dentro. 🌱

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s