#day154 – quando se ama tanto, que se deixa ir…

O verdadeiro amor trabalha os paradoxos. Coloca cartas na mesa que não existem. Faz superar até a mais atroz dor. E suga até ao tutano toda e qualquer possibilidade do “eu” existir. Qualquer ego ferido é brincadeira para panorama, e qualquer sentimento de posse é reconhecido como ilusão. 

O verdadeiro amor transcende a mágoa, a traição e o medo. Não justifica ou valida os erros ou a razão. Apenas está acima disso. O verdadeiro amor faz-nos olhar tanto para dentro que transforma e dá-nos o privilégio de vermos no outro o que amamos e odiamos em nós.

Nunca, ao falarmos dos nossos companheiros, estamos a falar deles. Em relações íntimas, o espelho é mais óbvio. O que vemos no outro está em nós. Resta-nos celebrar o que amamos no outro e perdoar o que não conseguimos ultrapassar. 

E quanto mais em profundidade vamos nesse amor, mais liberdade se gera. Deixamos de ser refens do passado e aprendemos a ir limpando os nossos corações do que já não nos serve mais. Na maior parte das vezes basta apenas sentarmo-nos com a dor. Literalmente parar tudo e ficar só a observar o que vai dentro. Esse levar de atenção para esse espaço interno onde se sente a emoção, é o suficiente para a própria sensação de nutrir e se dissipar. Fugir da emoção pouco serve quando o que precisamos é de vivê-la, acarinha-lá e deixar-la ir. 

E ao aprender a deixa ir a emoção, aprendemos a deixar ir quem amamos. Deixamos de controlar os resultados e não mais ficamos agarrados a expectativa de se “ter alguém para amar”. O “ter” passa a “ser” e tudo muda para sempre. 

Nem quero imaginar como se sentem quem me ama (principalmente a minha mãe e a minha avó) sempre que vou para o mundo, que fico em retiros intermináveis em lugares inóspitos. Mas quem me ama, ama mesmo. E por isso deixam-me ir sem drama nem posse. Sabem que volto. É preciso saber amar assim. E esse amor começa em nós. Nesta admiração profunda que devemos sentir dentro pelo que somos e pelo que trazemos ao mundo. 

Haja coragem para deixarmos ir quem amamos. Haja vontade de gerar liberdade para nós. Haja amor tão profundo que torne tudo natural e leve. Haja, acima de tudo, entrega. Ao que a vida nos dá. Para que o mundo possa acontecer através de nós e nos surpreender com a vida. Cheia de amor e cheia de paz. 🍭

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s