#179 – “Porque é que é que ainda não tens namorado?”

Deve ser a pergunta que mais me fazem… A seguir a “mas em que é que trabalhas mesmo?”. Anyway, a  resposta é fácil: porque ainda não me apaixonei.  

Namorar não é um passa-tempo. Não deve ser por conveniência. Deve ser por amor. Quem é feliz sozinho, raramente precisa de estar com alguém só por estar. Se aquela pessoa não é quem se ama mesmo, começa a vir a desculpa, a comichão e a distância. Mesmo que saiba bem o colo e o conforto da companhia constante. 

Mas há pessoas do mundo, umas que tiveram a sorte de amar cedo, outras, genuinamente não contratam o amor noutra pessoa. Mas podem te-lo encontrado em si. 

Sou muito mais pelos afetos com profundidade do que viver de amores aparentemente quentes. Sou muito mais de viagens prolongadas, do que fins‑de‑semana compridos em alguém. Sou bem mais de amores concretos e diários do que projeções platônicas do “quão maravilhoso pode vir a ser”. 

Não sou mulher de carências. E apesar de ser mimada, prefiro o calor que nutro por mim dentro e não troco por nenhuma promessa de ninguém. 

“Porque é que ainda não tens namorado?”, perguntam-me. E na maior parte das vezes nem percebo qual o espanto. Mas porque haveria de ter se ainda não chegou a minha vez? Não faz sentido ter alguém se não nos fizer vibrar por dentro e se a sua companhia não for melhor que a nossa própria. Se não me sentir em casa com alguém, prefiro estar sozinha. Sem pudores. É uma escolha. Sim, às vezes um acto de coragem, principalmente no inverno em que só apetece lareira, cinema e pipocas 🙂 mas é uma escolha. E a vida faz-se de escolhas. Selecionando as prioridades. E enquanto esse alguém não chega, entrego tudo de mim aos meus dias para ser mais feliz a cada sol. Não perco tempo com rodeios ou relações mornas. Invisto tudo de mim a construir a vida que sonho para mim, deixo de estar dependente de precisar de encontrar alguém para ser feliz. E confesso que já estive muito tempo nesse “loop”. Até perceber que não faz sentido nenhum. Até pq nunca gostei de dependencias. Amar alguém é um bónus que a vida nos dá. Não deve ser o centro de quem somos.

Se tive momentos em que ter ou não ter namorado me definia, hoje o que faz de mim quem sou, é a capacidade que gerei de se ser feliz, criando muita disponibilidade para investir nos meus sonhos. 

Por isso é que já nem compreendo bem porque me fazem tal pergunta. Apenas sei que a maturidade traz capacidade de escolha e talvez a vida traga um bom bom lá na frente. Mas para ja, repito: não namoro porque ainda não me apaixonei. 💕

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s