#day348 – 🌊

Ruge lá fora o mar. Agreste. Há um silêncio que não consigo explicar. Por entre os uivos das ondas na rocha. Consigo eu. Por fim. Descansar.

Muito de mim se encontra quando perco o rumo e a direção. Gosto de não ter azimutes. Gosto dos caminhos esguios da solidão. Sou ermita de natureza. Gosto de viver a vida em paz.

E é quando o mar bate. Nas rochas. Que me lembro quem sou. Que me regressa a memória de que não precisamos de nada para sermos tudo. E que precisamos de voltar a aprender a apenas ser para que a nossa essência nunca saia de nós.

É por isso que mergulho nua. Despida dos meus próprios preconceitos. E então escuto a lua. O amor. E o sal. Só eles me sabem dizer. Onde posso eu permanecer. Sem que a vida me leve. A mal.

Anúncios

One Comment Add yours

  1. Ana Pinto diz:

    Maravilhoso!!! Beijinho

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s