#day359 – comum dos mortais

Adoro o banal em mim. O despreocupado. As manhãs demoradas. O café de todos os dias. O despertar lento que se rebola na cama. Adoro o vazio de dias cheios de nada. Adoro o vento que não sopra. Adoro quando tudo é igual e comum nas alvoradas.

Adoro os detalhes mais óbvios. As pequenas coisas de todos os dias. Adoro clichês e lugares comuns. Fazem-me saber viver. Feliz.

Adoro as pessoas brandas de si. Que se adoram simples. Por aí.

Adoro saber que preciso de muito pouco para viver a vida com significado. Não fora a vida um privilégio. Em si. Em todo o lado.

Parece que as pessoas se esquecem que para viver bem basta agradecer e, repito, viver. Todos os dias as banalidades. Aproveitar o que tomamos por garantido. Pois é aí que mora a verdade. Para viver, basta-nos isso apenas: viver. Respirar com gratidão. Acordar com amor pelos dias. Abraçar quem nos entusiasma. E seguir por aí a admirar as pequenas bênçãos. Todos os dias.

É um passo a passo determinado de quem decide amar a trivialidade. Pois a magia foi concedida a todos por igual. Mas apenas não chega. A quem não se acha. Um comum mortal.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s