Daily Life · Flow

#day23 – about mornings 

Todas as manhãs são recomeços, são formas de novas oportunidades. São novidades constantes e sempre presentes. Todas as manhãs são renovadoras. 

Acordo e bebo a minha água com limão, a seguir vem o café, a contemplação,  e a abertura à beleza da vida. 

Todas as manhãs podemos retornar ao encantamento de criança e escolher viver assim, de forma tão deslumbrada que os olhos às vezes mal acreditam no que veem. 

Todas as manhãs me relembro do porquê dos meus dias e inicio a minha jornada. Dia após dia. Até chegar onde tenho que chegar… 🌱

Daily Life · Inspiration

#day15 – Apologia da Liberdade

“É miserável gastar a vida, a perder a Liberdade”… ❤

Flow

#day14 – acerca do trivial

Gosto das coisas triviais. Daquelas de todos os dias. Daquelas que estão lá sempre da mesma forma. Gosto dessa constância. Equilibra-me os ímpetos por coisas novas. 

Gosto das coisas triviais. Dos abraços de sempre, das pessoas de sempre e das despedidas de sempre. Dos círculos com retornos anunciados sempre da mesma forma. Gosto, simplesmente gosto do trivial. Faz-me perceber e todos os dias relembrar do prazer de se ter aquelas pequenas coisas que tornam os dias tão grandes que mais valia nem serem vividos, para que não pudessem, de novo, tornar-se triviais. Majestosamente triviais. 

Daily Life · Flow

#day12 – o paraíso à espera de ser reconhecido dentro

Que não nos iludamos com borboletas e verdes extravagantes, com palmeiras e águas de coco. O paraíso está dentro. Lá por se ter que percorrer de uma ponta a outra toda uma floresta tropical interna até se chegar à praia ou serra dos nossos sonhos, isso não quer dizer que o paraíso não continue lá, pacificamente à nossa espera. Aquele lugar que nos deixa descansar, beber e seguir. Aquele lugar que está sempre lá mas que nem sempre sabemos como chegar. Esse lugar encantado e perfeito que nos faz respirar. Mas agora se torna claro que para ir é preciso voltar e que o mais importante é percorrer o caminho para lá chegar tantas vezes até se tornar fácil e diário. Isto porque a vida tem tanto paraíso como de acção. De água de coco como tem de açafrão. Isto porque a vida é feita desta mistura de selva, praia, serra e fundo do mar, para chegarmos ao final e afinal percebermos que afinal no final, o paraíso é a selva, a praia, a serra, o fundo do mar e mais um par de botas que até nem nos serviam mas que carregámos no caminho não fossem os pés reclamar. Que a caminhada e o caminho se fundam para que percebamos que o paraíso era em concreto, o acto de aprender a caminhar.